São as águas de março fechando o verão.

Postado por #Marcelo 15 pessoas comentaram
 
Durante certos momentos da vida o ser humano encontra-se no maior e mais desagradável paradoxo de sua existência. Costuma acontecer entre os 13 e 16 anos, mas fatores cósmicos da modernidade levaram recentemente essa tendência até a vida adulta. Trata-se, claro, da infame amizade feminina.
Ainda adolescente iniciante na triste vida amorosa. No colégio e na rua ouvimos garotas dizendo que gostam de homens carinhosos, que conversam, que as ouçam. Assim, nos aproximamos. Passamos a tarde com elas vendo um filme, ouvindo música, saímos para conversar e, em alguns casos, alcançamos o ápice: conhecemos o quarto.
Sim, o quarto da mulher amada. É o mais singelo e puro local do mundo. Você observa atentamente a cama, local sagrado onde ela dorme todas as noites.
Enfim, você já viu o filme com ela, conversou, até comentou sobre a última capa da Atrevida. Tudo se encaminha bem. Muito bem. Você faz o que ela quer, o que ela deseja, o que ela sonha num homem. Porém, contrariando todas as leis da física, da astronáutica, da matemática, da retórica e da gramática ela expele as mais duras palavras para um então jovem homem:
“Eu adoro ter você como amigo”.
E aquilo tudo que você fez? Tudo por que passou? Foram em vão? Foram. Seu idiota. Quanto mais você se aproximar, maior será a queda.


 
A tua presença ainda permanece aqui, e isso não me está a deixar em paz.
Estas feridas parecem não cicatrizar, e esta dor é tão real, cada vez mais.
Existem muitas coisas que o tempo não consegue apagar!
Então tentei com todas as minhas forças dizer que tu já sais-te de meu pensamento, e embora teres estado nele presente até agora, eu tenho estado sozinho este tempo todo, estou tão cansado de estar aqui.
Eu já não grito de dor, estou silenciosamente magoado, gritando por dentro.
Todo este tempo, desde que te conheci , tinha certezas que era contigo que iria passar o resto de minha vida, que precisava de ti para sobreviver, que nada faria sentido sem ti ,que éramos feitos e destinados somente um ao outro, tinha a certeza que as palavras que ouvia eram verdadeiras e sinceras e que as promessas que fizes-te iriam se cumprir, eu tinha a certeza!
Mas tudo se desmoronou num breve segundo. Risos acabados, promessas quebradas, momentos desaparecidos.
Eu fui feliz, eu fui mesmo feliz, tu fazias me sentir o garoto mais feliz de sempre! Eu amei-te de verdade!
Agora? Agora não passam de meras lembranças passadas, apenas isso! Tas tão distante, tão fora de alcance, e meu coração ainda permanece machucado e despedaçado, e eu vivo num desespero de um amor perdido, um amor que foi único e inigualável.
Tanto sofrimento, tanta dor, uma grande desilusão, sem dúvidas a maior de todas elas. Tenho esperado tempo e tempo para repor a minha alma, tentando colar todos os pedacinhos do meu coração, tentando te por fora da minha mente e superar-te, mentalizar que és passado e esquecer que te amo. Porquê não consigo? Porquê?
Foi a melhor história que vivi mas com o pior final que conheci! Não foi uma história de amor com um final feliz, com um "para sempre" como eu tanto sonhava! Agora não passa de um amor destroçado, destruído, magoado, acabado!
Porque tudo teve de ser assim? Para que me disses-te tudo aquilo? Porque me fizes-te acreditar em ti quando tudo não passava de uma mentira? Porque é que tudo tem um fim? Tantas questões, e nenhuma resposta!
Tanta luta para agora nem te ter em meus braços, tantos obstáculos que passei por ti que agora não valeram o esforço, tantos momentos mágicos que passamos e agora é apenas uma recordação, tantas lágrimas derramadas que ainda caiem pelo meu rosto! Eu vivia por ti, eu vivia de ti! Afinal tudo isso para quê?
Agora? Tenho que dar um passo em frente de vez! Tenho de aprender a viver sem ti, assim como tu és feliz a viver sem mim!
Tenho que mostrar a mim mesmo que consigo apagar-te da minha memória.
Não pode ser um passado, que me vai continuar a fazer infeliz no presente e que me vai impedir de ser feliz no futuro!

Related Posts with Thumbnails